Despesas fixas e variáveis: quais suas diferenças?

despesas fixas e variaveis

Nada melhor que começarmos esse post falando sobre lucro.

Isso mesmo! Lucro.

Mas, como o lucro se encaixa no tema de despesas fixas e variáveis? É simples.

Quanto menor forem as despesas fixas e variáveis, maior será seu lucro.

E para que isso ocorra corretamente, é necessário que sua empresa tenha um bom controle e planejamento financeiro.

É correto afirmar que um bom empreendedor entende que o controle e planejamento financeiro é vital para a empresa.

E para que exista um bom planejamento financeiro é essencial que você conheça o que é despesa, como é classificada  e como funciona cada uma delas. 

Por isso, fizemos este artigo que ajudará a entender as despesas fixas e variáveis, como se classificam, como deverá organizá-las e também aspectos importantes que você precisa se atentar sobre o tema.

Continua lendo e confere aqui conosco.

O que são despesas?

Despesas são todos os gastos relativos à administração da empresa.

Ou seja, são os gastos que não tem relação direta com a produção. Podemos citar: 

  • Salários dos administradores;
  • Aluguel;
  • Contabilidade;
  • Marketing;
  • Material de escritório, entre outros. 

Dessa forma, podemos dizer que as despesas estão relacionadas a gastos voltados à manutenção do funcionamento da estrutura organizacional.

Mas que não contribuem diretamente para elaboração de novos produtos ou serviços a serem comercializados. 

Qual a diferença entre despesas e custos?

Inclusive quando se fala sobre despesas, sempre surge a dúvida sobre a diferença entre despesas e custos.

Vale salientar que é fundamental saber dessa diferença, não somente para o preenchimento correto dos relatórios contábeis.

Mas também para o levantamento de indicadores essenciais para a avaliação do seu negócio e para planejar as contas de sua empresa. 

Em resumo, custos são desembolsos que podem ser atribuídos ao produto final, como, por exemplo, matéria-prima.

E despesas, como falado anteriormente, são os desembolsos de caráter geral, sem vinculação ao produto final.

Esclarecido o conceito de despesas, agora iremos descobrir como elas se classificam. 

Como fazer a classificação dessas despesas?

Podemos dizer que as despesas se classificam de duas formas: despesas fixas e variáveis.  

O que são as despesas fixas?

Despesas fixas são aquelas que não possuem relação nenhuma com o custo do produto, seja a compra de mercadorias ou mesmo a produção.

Em outras palavras, são as que independentemente do volume de vendas ou custos da produção permanecem sem alterações nos valores do desembolso.

Quais são as despesas fixas?

Como exemplo, podemos citar:

  • Tarifas bancárias;
  • Seguros;
  • Aluguel, 
  • Salários, entre outros. 

Embora o nome possa até sugerir, não se trata de valores inalteráveis. A principal característica dessa despesa é a sua periodicidade.

Sendo assim, as despesas fixas são recorrentes, normalmente num período mensal e não são modificadas de acordo com as vendas ou volume de produção. 

Desse modo, mesmo que sua empresa não venda nenhum produto em determinado mês, as despesas continuarão lá aguardando para serem pagas. 

O que são as despesas variáveis?

Já as despesas variáveis são os gastos que têm relação com a operação do negócio.

Como a própria nomenclatura sugere, os gastos variam de acordo com a produção, volume de vendas ou alguma outra atividade da empresa.

Por esse motivo, pode ser facilmente confundido com os custos. 

Como já citamos, sobre custos e despesas, podemos dizer que as despesas variáveis estão ali no “meio do caminho” entre ser um custo ou uma despesa.

A diferença é que a despesa não está diretamente relacionada à produção e nem a quantidade de vendas, mas pode ser fortemente impactada por esses dois quesitos.

Quais são as despesas variáveis?

Para entender melhor, segue alguns exemplos:

  • Bônus e comissões;
  • Frete para entrega de mercadorias;
  • Combustível;
  • Embalagens, entre outros. 

Qual a importância de conhecer as despesas fixas e variáveis 

Percebeu como é fácil?

Embora seja simples, não deve ser deixado em segundo plano ou considerado irrelevante.

Todo gestor ou empreendedor deve conhecer a diferenciação dos tipos de despesas na hora de elaborar um orçamento empresarial.

Isso porque são peças fundamentais para que o planejamento financeiro seja feito de forma correta. 

Além de conhecer essas despesas, é necessário também realizar a classificação correta dela.

Foto de Karolina Grabowska no Pexels

Assim, fica mais fácil uma visão mais detalhada e rápida e mantém o fluxo de caixa organizado.

São as categorias que ajudarão os gestores a entender para onde vai o dinheiro, identificando oportunidades de redução de custos.

São elas também que auxiliarão na análise de margem de contribuição, identificando se vale a pena ou não produzir determinado produto.

Outro ponto importante é que controlar as despesas fixas e variáveis corretamente é sinônimo de monitoramento dos resultados.

É através dele que é possível analisar e projetar a lucratividade e verificar os indicadores de desempenho da empresa. 

Como fazer a gestão dessas despesas?

Para elaboração de um planejamento financeiro eficaz, conhecer a diferença desses dois conceitos é primordial.

Existe uma razão bem definida para isso: é a facilidade para definir os valores de orçamento para cada gasto.

No caso das despesas fixas de uma empresa, independentemente do período, seja ele de escassez de recursos ou não, são necessários fundos que possam cobrir esses gastos, que continuarão mensalmente sendo cobrados e desconsidera se a empresa tem lucratividade ou não. 

Já as despesas variáveis costumam apresentar maior facilidade de gerenciamento e consequentemente de cortes também.

Com isso, é viável a busca por formas mais econômicas de produção. 

É essencial que a empresa tenha um responsável direto para o controle das despesas, capaz de identificar falhas no processo, gerenciar melhor os seus recursos e identificar manobras mais adequadas para cada nova etapa do seu negócio. 

Concluindo

Note o quanto é importante realizar os registros de cada operação ou despesa da empresa e o impacto que cada uma delas poderá ter para uma boa gestão.

Sem um controle eficiente, o orçamento e planejamento financeiro estarão sem dúvidas comprometidos e gerará um déficit na análise dos resultados. 

É também essencial o auxílio da contabilidade nesse processo.

Além de ajudar na questão da conceituação, o contador pode contribuir com a elaboração de estratégias que sejam capazes de aumentar a lucratividade da empresa.

E agora mãos à obra para organizar bem as despesas fixas e variáveis do seu empreendimento e alcançar o crescimento e sucesso da sua empresa. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Outros Textos